as mulheres ficam aterrorizadas


escrito por: Tricia em quinta-feira, outubro 19, 2006 às 4:39 PM.



"O que mais reclamo nas maternidades é a violência dos médicos com a gente. Não sabem se você tem passagem para o neném, mas é só ir chegando que vão logo te cortando. ’Abre as pernas’, você abre e vuum, dão um corte! Talvez o neném até nascesse naturalmente. A violência maior é esse corte que dão na gente. Esse períneo é uma tristeza! Às vezes dão anestesia, mas nem sempre. E você toma aquela picada; na hora não sente, mas depois tem os fios de nylon que secam e ficam duros com aquelas pontas todas... é horrível e se você não ficar untando, fica tudo seco e dói muito. É uma barbaridade!

A maioria das mulheres não gosta de ir para o hospital e tenta esperar até a ultima hora. Por isso é que muitas vezes o neném nasce em casa, na rua, até no táxi, e como tem esses casos de mulheres que não podem ter parto normal, é onde muito neném morre, porque elas ficam agüentando até o ultimo momento e quando chegam não dá mais tempo de fazer o parto normal porque não tem passagem. Então eles forçam a pessoa para dar passagem e é quando o neném morre e até a mãe pode morrer. Se você está esperando as contrações, vem um médico, enfia o dedo e dá um toque; vem outro, dá outro toque ainda e outro mais... as mulheres ficam aterrorizadas. Às vezes, eles vêm por curiosidade de aprender, como os acadêmicos. Se fosse só um médico, aquele que vai fazer o teu parto e ainda está te dando assistência, então seria mais certo. Mas vários médicos... você lá com as pernas abertas, e TUM, daqui a pouco já é outro, e TUM de novo, e depois outro ainda, enfia a luva, o dedo, TUM... e vai embora! Isso é uma violência danada!”


(Depoimento de Cristina, página 26, retirado do livro “Mulher, Parto e Psicodrama” de Vitória Pamplona.)

Marcadores: , ,

0 Respostas a “as mulheres ficam aterrorizadas”

Postar um comentário

Links para este post

Criar um link

---------------------------------



QUEM  SOMOS
 



Tricia Cavalcante: Doula na Tradição, formada pela ONG Cais do Parto, mãe de três, e doula pós-parto.Moro em Fortaleza-CE.


.


Assine o Parir é Nascer! (RSS)

Para receber as atualizações do Parir é Nascer, inscreva seu email abaixo:

Delivered by FeedBurner

---------------------------------



O  QUE  VOCÊ  PROCURA?
 















---------------------------------



INDICAÇÃO  DE  LEITURA
 
















---------------------------------



INTERESSANTES
 

---------------------------------



ONDE  NOS  ENCONTRAR
 

















Powered by Blogger




eXTReMe Tracker